A estabilidade da oferta de leitos do SUS no RS e no Brasil

O Sistema Único de Saúde (SUS) começou a funcionar em 1988. Em 2003, cerca de 90% da população brasileira era usuária de algum serviço do SUS, pois o sistema público atendia a outras modalidades (plano de saúde e pagamento direto). Em 2008, 80% da população utilizava o SUS de forma exclusiva.

O número de leitos (conveniados ou contratados) para a internação hospitalar do SUS permaneceu estável no RS, entre 2006 e 2009, tendo atingido, neste último ano, 21.547 leitos. A participação do SUS nos leitos totais, em torno de 70%, foi estável no período. A variação dos leitos do SUS, no quadriênio 2006-09, foi de apenas 2,4%, enquanto a dos leitos não SUS caiu 0,3%.

No Brasil, o total de leitos reduziu-se, entre 2006 e 2009, em 4.230 leitos, atingindo 468.852 em 2009. A quantidade de leitos do SUS acompanhou essa tendência de decréscimo, pois, em igual período, ocorreu uma perda de 15.419 leitos. A diminuição dos leitos do SUS, entre 2006 e 2009, foi de 4,3%, enquanto os leitos não SUS cresceram quase 10% em igual período.

As dificuldades da população para conseguir um leito e as constantes denúncias de superlotação dos hospitais apontam o muito que ainda deve ser realizado para que o SUS possibilite o acesso universal, igualitário e integral à saúde no País.

A estabilidade da oferta de leitos do SUS no RS e no Brasil

Compartilhe