A educação profissional técnica de nível médio no Brasil e no Rio Grande do Sul

A educação profissional está dividida em três níveis: básico, técnico e tecnológico. Os cursos básicos são abertos a qualquer pessoa interessada, independentemente da escolaridade prévia; os técnicos, desde 1997, são oferecidos simultaneamente ao ensino médio ou após a sua conclusão, com organização curricular própria; e os tecnológicos são cursos de nível superior. Até 2004, o nível técnico contava com duas formas: concomitante (ensinos médio e técnico com matrículas distintas) e subsequente (para alunos que já possuíssem o ensino médio). Em 2004, criou-se mais uma forma, a integrada. Nessa, o aluno cursa, em currículo e matrícula únicos, o ensino médio e o ensino técnico profissional.

A educação profissional de nível médio no Brasil experimentou, recentemente, importante expansão na oferta de vagas. Houve aumento de 4,3% no número de matrículas, passando, no período de 2005 a 2007, de 747.938 para 780.162 vagas. No Estado, ocorreu praticamente uma estabilização nas matrículas (aumento de 77.486 para 78.857). No Brasil, a rede pública respondia, em 2007, por 50,4% das matrículas. No Rio Grande do Sul, a participação da escola pública era maior, com 53,4% das matrículas.

O ensino profissional integrado mais que dobrou sua participação entre 2005 e 2007, com crescimento de 112,8%, passando de 40.675 para 86.552 vagas. No RS, essa forma de ensino ainda é pouco representativa. Em igual período, passou de 46 para 1.414 matrículas, com um avanço de mais de 30 vezes.

A educação profissional técnica de nível médio no Brasil e no Rio Grande do Sul

Compartilhe