A distribuição espacial da produção leiteira gaúcha

Na elaboração do Produto Interno Bruto (PIB) regional do RS, verifica-se uma crescente importância do leite e de seus derivados na estimativa da atividade bovina. A análise dos dados da Pesquisa Pecuária Municipal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (PPM-IBGE), principal fonte dos dados primários para sua elaboração, permite constatar-se essa evolução.

Em 2012, ano da última pesquisa divulgada, o RS ocupava o segundo lugar na produção leiteira nacional, atrás apenas de Minas Gerais. Do total da produção nacional, o Estado de Minas Gerais participava com 27,6% e o RS com 12,5%.

A análise recente mostra um crescimento maior do RS vis-à-vis Minas Gerais, verificando também uma maior produtividade de sua bacia leiteira: RS com produção de 2,7 mil litros/ano, e MG com 1,6 mil litros/ano por vaca ordenhada.

Na análise intrarregional do RS, constata-se que a principal bacia leiteira está localizada na mesorregião Noroeste Rio-Grandense, produzindo em torno de dois terços do leite gaúcho. A segunda mais expressiva e bastante menor é a Nordeste Rio-Grandense, com 10,1% em 2012.

De outra parte, verifica-se a ocorrência de crescimentos desiguais entre regiões nessa atividade. Essas duas mesorregiões são as únicas que vêm ganhando participação em comparação ao ano 2000. A primeira, com crescimento de 7,7 pontos percentuais, e a segunda, de 0,4 ponto percentual. As demais cinco mesorregiões — Centro Ocidental Rio-Grandense, Centro Oriental Rio-Grandense, Metropolitana de Porto Alegre, Sudoeste Rio-Grandense e Sudeste Rio-Grandense — apresentam decréscimos em participação de sua produção entre 2000 e 2012.

Em relação à produtividade, constata-se uma distribuição semelhante. A mesorregião Noroeste Rio-Grandense é a que apresenta melhor produtividade, com 3,0 mil litros/ano de leite por vaca ordenhada, seguida da Centro Oriental Rio-Grandense (2,6 mil litros/ano) e da Nordeste Rio-Grandense (2,5 mil litros/ano).

É interessante notar-se que esse desempenho da bacia leiteira gaúcha ocorre concomitantemente com alterações em sua estrutura produtiva agrícola, com concentração na cultura da soja.  Destaca-se, no entanto, que é na principal mesorregião produtora de leite que a soja apresenta menor crescimento. Entre 2000 e 2012, a mesorregião Noroeste Rio-Grandense sofreu uma queda de 82,1% para 61,1% na participação da produção estadual de soja, com crescimento de produção de 98,6%, inferior à média gaúcha de 166,7%.

distribuição da produção

Compartilhe