A balança comercial do RS

Até outubro de 2003, o saldo comercial do Estado foi de US$ 3,1 bilhões. Ao contrário do Brasil, onde as importações aumentaram apenas 0,16%, no RS elas cresceram 28,88%, apesar da crise econômica do País.

Analisando-se as importações gaúchas por categoria de uso, nota-se que o maior crescimento percentual ocorreu na categoria combustíveis e lubrificantes (62,82%), seguida por bens de consumo (20,66%), no qual se destacaram os bens de consumo não duráveis (23,52%). Dentre os bens intermediários — crescimento de apenas 13,20% —, o maior aumento foi para alimentos e bebidas destinados à indústria (47,93%). Os bens de capital tiveram suas compras externas elevadas em 15,73%. Em ordem decrescente, as principais mercadorias importadas pelo RS nos primeiros 10 meses de 2003 foram óleo bruto de petróleo; naftas; cloreto de potássio; trigo; diidrogeno-ortofosfato de amônio; partes e acessórios para tratores e veículos; uréia; couro bovino; arroz e microprocessadores.

Por fator agregado, as exportações gaúchas, entre janeiro e outubro de 2003, elevaram-se principalmente nos produtos básicos (35,83%), já que os industrializados cresceram 18,07%. Dentre estes, os manufaturados tiveram sua participação reduzida no total exportado pelo Estado, caindo de 52% nos primeiros 10 meses de 2002 para 49% em igual período de 2003. Tal fato deveu-se ao decréscimo nas vendas externas de calçados, o principal item da pauta de exportações do RS. As demais mercadorias exportadas pelo Estado no período, em ordem decrescente, foram: soja em grão; fumo; farelo de soja; óleo de soja; carne de frango; tratores, suas partes e acessórios; motores diesel; polietileno; carrocerias para  ônibus; e carne suína.

A balança comercial do RS

Compartilhe