A balança comercial do RS no primeiro semestre de 2005

No primeiro semestre de 2005, a balança comercial do RS registrou um saldo positivo menor do que o do mesmo período de 2004, devido tanto ao fraco desempenho de suas exportações como ao forte crescimento de suas importações. Enquanto as exportações brasileiras cresceram 23,95% no período, as vendas do Estado ao exterior aumentaram apenas 5,81%. Já as importações gaúchas registraram um incremento de 30,49% contra uma elevação de 20,16% nas compras externas do País. Em conseqüência, ao passo que o saldo comercial do Brasil aumentou 31,09% no primeiro semestre deste ano, no RS, ele se retraiu em 21,09%, quando comparado ao dos primeiros seis meses de 2004. Mesmo assim, o RS ainda se manteve como o terceiro estado exportador do País, atrás de São Paulo e de Minas Gerais.

A estiagem no verão passado e a valorização cambial têm sido apontadas como as principais causas da pequena taxa de crescimento das vendas estaduais ao exterior. Os produtos básicos e os semimanufaturados, compostos, em grande parte, por bens agrícolas, tiveram retração de vendas no semestre, e apenas os manufaturados apresentaram crescimento em suas exportações. Mesmo assim, as receitas com os calçados de couro natural (principal produto da pauta exportadora gaúcha) elevaram-se apenas 4,7% no período, impulsionadas pelo aumento do preço médio, já que as quantidades embarcadas diminuíram. Os calçados foram afetados pela valorização cambial, tendo em vista a pouca utilização de componentes importados, o que atenuaria, em parte, a questão do câmbio. Ressaltam-se o aumento de 29,2% nas exportações de bens de capital pelo Estado e a queda de 7,7% nas vendas de bens intermediários, esta afetada pela redução de 83,8% nas exportações de alimentos e bebidas destinados à indústria.

Os principais produtos exportados pelo RS nos primeiros seis meses de 2005 foram: calçados de couro; fumo; carne de frango; tratores e suas peças; farelo de soja; carne suína; polietileno; carrocerias para ônibus; óleo de soja; colheitadeiras; e benzeno. E os principais destinos das exportações gaúchas foram: Estados Unidos, Argentina, Alemanha, Chile, Reino Unido, China, Rússia, México e Itália. Vale destacar-se que a China, mesmo fazendo parte da lista dos maiores mercados para os produtos gaúchos, apresentou uma redução de mais de 60% nas suas compras do RS, visto que o principal produto para lá exportado pelo Estado é a soja, cujas vendas se retraíram sobremaneira neste ano. Em contrapartida, as vendas do RS para o Chile, a Rússia e o México tiveram um Teresinha Bello (FEE/CEES) forte incremento. Para o Chile, os principais produtos exportados foram polietileno; carrocerias; reboques; tratores; e carne bovina. Para a Rússia, o RS vendeu carnes de suíno e de frango, fumo, calçados de couro e colheitadeiras. E, para o
México, o Estado exportou carrocerias; tratores e suas partes; calçados de couro; aparelhos de ar condicionado e suas partes; e fumo.

Já as importações gaúchas se originaram principalmente da Argentina, da Nigéria, da Argélia, dos Estados Unidos, da Alemanha, da Itália, da China e do Uruguai. Os principais produtos importados pelo Estado continuaram sendo combustíveis e lubrificantes, mas o aumento nessas despesas deveu-se exclusivamente à elevação nos preços, já que o volume diminuiu. Por outro lado, diferentemente do Brasil, cujas importações de bens de capital se elevaram 23,1%, as compras externas de bens de capital pelo Estado cresceram 89,6%, favorecidas principalmente pelo baixo preço do dólar e pela perspectiva de crescimento da economia gaúcha para 2005, embora esta não se tenha concretizado. Como existe uma certa defasagem entre a encomenda e a entrega da mercadoria e, para bens de capital, esse espaço de tempo, em geral, é um pouco maior, muitas encomendas foram realizadas meses atrás, quando se esperava uma taxa de crescimento razoável para o PIB gaúcho neste ano. Também contribuiu para o aumento das importações de bens de capital pelo RS a entrada em funcionamento do centro de distribuição da Toyota, com importações de veículos para carga.

A balança comercial do RS no primeiro semestre de 2005

Compartilhe