Milho e soja: repetirão desempenho em 2008?

As safras de milho e de soja do Brasil e do Rio Grande do Sul, em 2007, apresentaram resultados alentadores na produção e na produtividade. No Brasil, a produção de soja cresceu 11,0%, mesmo com redução de 6,7% na área plantada, e o milho alcançou a expressiva produção de 52,205 milhões de toneladas (mais 22,4%), com uma expansão de 8,0% na área. No Estado, a produção de soja cresceu 31,5%, com incremento de área de 0,6%, e o milho, cuja área se reduziu de 1,4222 para 1,3660 milhão de hectares, apresentou incremento de 32,3% na produção. Portanto, no Rio Grande do Sul, reduziu-se a área plantada com milho, e a da soja manteve-se praticamente estável; no Brasil, ampliou-se a área de milho, e reduziu- se a da soja, significando, em todos os casos, ganhos expressivos de produtividade.

Nos EUA, maior produtor mundial desses grãos e onde a produção dos biofuels é estimulada, plantou-se, em 2007, 14.561 milhares de acres a mais do que em 2006, e produziu-se 13.307.999 milhares de bushels de milho (matéria-prima para o etanol), contra 10.534.868 na safra anterior. A soja, que concorre com o milho em área, teve esta reduzida de 75.522 para 64.081 milhares de acres, diminuindo em 17,9% a produção.

Havendo a safra 2006/2007 ocorrido num cenário de preços domésticos e internacionais favoráveis — com a renegociação das dívidas em andamento, com os juros (custeio e comercialização) reduzidos para 6,75%, face aos 8,75% da safra já colhida, e o volume do crédito rural ampliado em 16%, no País, passando para R$ 58 bilhões programados no Plano Agrícola e Pecuário 2007-2008 —, a questão que se impõe é qual será o comportamento dos produtores gaúchos e brasileiros quanto à área a ser plantada com esses grãos na safra 2007/2008.

Milho e soja repetirão desempenho em 2008

Compartilhe