Textos com assunto: Valor Adicionado Bruto

Principais atividades no Valor Adicionado dos municípios do RS

Por:

Edição: Ano 26 nº 8 – 2017

Área temática:

Assunto(s): , ,

A partir da nova série de dados do Produto Interno Bruto dos municípios, é possível analisar o desempenho das atividades econômicas dos municípios gaúchos desde 2002 até o dado mais recente, de 2014. Neste trabalho, identifica-se qual foi a atividade de maior participação no Valor Adicionado em cada um dos 497 municípios, e, a partir disso, quais mudanças ocorreram nesse período. As atividades foram classificadas em 36 diferentes grupos, tendo sido a agropecuária aberta em 14; a indústria, em 12 (sendo nove na transformação) e os serviços foram abertos em 10. Optou-se por excluir a administração pública da análise.

Em todos os anos, as atividades da agropecuária aparecem como a atividade principal no maior número de municípios. Em 2014, foi um total de 283 municípios. Desses, 134 têm a soja como principal atividade, seguida de bovinos (45), fumo (38) e cereais (24), especialmente as culturas de milho, arroz e trigo.

Dessas atividades, a que apresentou a maior mudança nos últimos anos foi a produção de soja. Em 2014, ela foi a principal atividade para 134 municípios do Estado (27% do total do RS), contra 103 em 2002. Boa parte desse avanço da soja se deu sobre outras atividades da agropecuária. Dos 50 novos municípios que passaram a ter a soja como a maior atividade, 21 deles tinham a produção de cereais (milho) como atividade principal em 2002 e, em 13, a produção de bovinos era a principal. O crescimento do número de municípios que teve a soja como atividade principal só não foi maior, basicamente, porque, em 15 municípios, ela deixou de ser a atividade principal, ou seja, mesmo tendo crescido, ela foi ultrapassada pelo comércio.

Os quatro Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes) que tinham a soja como principal atividade em 2002 mantiveram essa característica em 2014 (Alto da Serra do Botucaraí, Celeiro, Nordeste e Rio da Várzea). A soja passou a ser a principal atividade em dois Coredes: Jacuí-Centro e Vale do Jaguari. A produção de soja também se destaca nos Coredes Central e Missões, que são as duas regiões com a maior parcela da produção total do Estado. Porém, a soja não é a principal de suas atividades por conta da predominância do comércio. A cultura do fumo é a principal atividade para 38 municípios, sendo que, boa parte deles está no Corede Vale do Rio Pardo, onde 12 municípios têm o fumo como principal atividade (eram 14 em 2002). Além desses, há sete municípios no Corede Centro-Sul, nos quais prevalece o fumo (eram três em 2002).

No setor de serviços, apenas três das 10 atividades aparecem como atividade principal nos municípios: comércio, atividades imobiliárias e alojamento e alimentação. O comércio foi o principal setor em 102 municípios (21%), em 2014, sendo o que mais ganhou municípios no período (64). Esse resultado, nos municípios, acompanha o desempenho do setor no Estado, pois o comércio foi a atividade que mais ganhou participação no total do Valor Adicionado Bruto (VAB) do Estado, passando de 9,4% (2002) para 15,0% (2014). Já o setor referente às atividades imobiliárias é o destaque em 22 munícipios. Ela é a principal atividade em duas regiões com peso turístico: os Coredes Litoral e Hortênsias. No Litoral, ela é a principal atividade de oito dos seus 22 municípios, por conta dos imóveis destinados aos veranistas. Na região das Hortênsias, apenas Canela tem essa atividade como principal, porém, ela também tem participação significativa (mesmo que não seja a maior) nos munícipios de Gramado e Nova Petrópolis, onde se sobressaem as atividades de alojamento e alimentação e a de comércio respectivamente.

Olhando a presença da indústria nos municípios, 89 deles apresentam como principal atividade algum grupo de atividade industrial em 2014. O setor de máquinas e equipamentos, que era o principal em três munícipios em 2002, passou para sete em 2014. Na mesma direção, o setor de alimentos e bebidas também aumentou, passando de 14 para 18 munícipios nos quais esse setor lidera. No Corede Vale do Taquari, essa indústria passou a ser a principal em cinco municípios (eram dois em 2002), principalmente por conta da presença de frigoríficos. Nesse Corede também se destaca a presença de oito municípios, onde a criação de bovinos foi a principal atividade em 2014, sendo que não havia nenhum com essa predominância em 2002. Por fim, em apenas quatro Coredes, alguma atividade industrial é a atividade de maior Valor Adicionado: Fronteira Noroeste (máquinas e equipamentos), Vale do Rio Pardo (indústria do fumo), Vale do Caí (fabricação de móveis) e Paranhana-Encosta da Serra (coureiro-calçadista).

Nesse período, em 46% dos municípios, houve mudança na atividade principal (Figura). Além das mudanças já destacadas no comércio e na soja, chama atenção que a produção de bovinos, apesar de ter perdido municípios para a soja, acabou ganhando em outros, principalmente onde antes o principal era a produção de cereais ou aves.

Compartilhe

Distribuição dos setores da economia gaúcha por municípios

Por:

Edição: Ano 25 nº 01 – 2016

Área temática:

Assunto(s): , ,

Na estrutura do Valor Adicionado Bruto (VAB) da economia gaúcha, o principal setor de atividade é o serviços, com uma participação de 65,6% do total, seguido da indústria (24,3%) e da agropecuária (10,1%), no ano de 2013. Entretanto a estrutura dentro de cada um dos 497 municípios, de um modo geral, diferencia-se da observada para o RS como um todo.

Para 30% dos municípios do Estado, a agropecuária tem uma participação predominante em relação aos demais setores da economia. Esse grupo, que, na maioria dos municípios, tem menos de 5.000 habitantes, representa apenas 4% do Produto Interno Bruto (PIB) do RS. Em termos de PIB per capita, esses municípios ficam pouco abaixo da média do Estado (-3%).

Já o conjunto que tem a indústria como principal atividade é composto apenas por 32 municípios (6% dos municípios do RS). Esses municípios apresentam um PIB per capita 63% maior que a renda média do Estado, valor que é influenciado, em parte, pela presença dos três municípios de maior PIB per capita, que são Triunfo (Polo Petroquímico), Aratiba e Pinhal da Serra (usinas hidrelétricas). Mesmo assim, a maioria desse grupo (81%) apresenta um PIB per capita maior que a média do Rio Grande do Sul.

No restante dos municípios (64%), o setor serviços tem predominância sobre os demais. Além disso, por incluir atividades como comércio, transportes, intermediação financeira e administração pública, o setor serviços possui presença significativa em quase todos os municípios do Estado. Nesse grupo, porém, há municípios em que a agropecuária tem uma participação destacada, tanto que metade deles apresenta uma participação do setor agropecuário com mais de 30% do VAB municipal — ainda que abaixo da participação do setor serviços, é um valor significativo, se comparado com a média estadual.

Ter uma grande predominância de um determinado setor no município não significa, necessariamente, que os maiores Valores Adicionados de cada setor no RS estejam nesses municípios. Ocorre, na verdade, que os 10 municípios com maior Valor Adicionado absoluto na indústria tem, na verdade, uma maior participação do setor serviços (com exceção de Gravataí e Triunfo). Da mesma forma, os 10 maiores Valores Adicionados da agropecuária também estão em municípios com preponderância dos serviços. Isso mostra o quão importante é a atividade de serviços para dar suporte às demais atividades da economia e atender à demanda da população desses municípios que concentram grande Valor Adicionado. Já no caso de Gravataí e Triunfo, o alto Valor Adicionado na indústria acaba não gerando uma demanda por serviços tão alta, devido à característica dos segmentos industriais presentes nesses municípios (automotivo e petroquímico respectivamente).

Ao observar a distribuição de cada setor de atividade entre os municípios, nota-se que há diferentes níveis de concentração, de acordo com o setor analisado. A agropecuária é distribuída em um número maior de municípios, enquanto a indústria e os serviços são mais concentrados. Em 2013, metade do VAB agropecuário do Estado estava concentrada em 50 municípios, enquanto a indústria, nessa mesma proporção, estava concentrada em apenas 13, e o setor  serviços, em 12 municípios.

Entre os municípios que concentram a atividade industrial e os que concentram a de serviços, oito estão nos dois grupos. Tendo em vista que essas duas atividades representam, em conjunto, 90% do VAB gerado no Estado, nota-se também uma concentração do PIB gaúcho (metade está em 17 municípios). Essa concentração da indústria e dos serviços em poucos municípios ajuda a subestimar a importância que a agropecuária tem para alguns municípios do Estado, conforme destacado anteriormente.

Por fim, cabe ressaltar que, nesta análise, não são consideradas as interligações entre os setores e as dependências entre os municípios, principalmente entre municípios próximos. Os setores da economia, assim como o desempenho econômico de cada município, não ocorrem de forma isolada. Porém a distribuição setorial por municípios permite ter um retrato mais fiel da economia gaúcha do que ao se olhar apenas para o agregado do Estado.

drope2

Compartilhe