Textos com assunto: PIB dos municípios

Maiores ganhos de participação no PIB dos municípios do RS de 2002 a 2014

Por:

Edição: Ano 26 nº 2 – 2017

Área temática:

Assunto(s): , ,

Entre 2002 e 2014, o Produto Interno Bruto (PIB) do Rio Grande do Sul cresceu, nominalmente, 262,0%. Desse total, 34,5% deveram-se ao incremento no volume, e 172,7% ao aumento nos preços. Em nível municipal, de acordo com a metodologia de cálculo utilizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e pela Fundação de Economia e Estatística (FEE), não há a desagregação das variações de volume e preços; portanto, a única variação disponível é a nominal.

Durante o período analisado, alguns municípios destacaram-se positivamente através do aumento na participação das suas economias no total do Estado. Os 10 municípios da tabela foram aqueles que obtiveram os maiores ganhos em pontos percentuais (p.p.) no período.

Guaíba apresentou o maior ganho entre todos os municípios gaúchos, mais que dobrando a participação do seu PIB no total do Estado, fazendo com que, em 2014, o município fosse 14.a maior economia do RS, subindo 11 posições desde 2002. O ganho significativo deveu-se tanto ao setor industrial quanto ao de serviços, com ênfase nas atividades da construção civil, que exibiu sensível crescimento, principalmente em 2014, referente à construção da segunda linha de produção de celulose, e de comércio de veículos automotores e motocicletas.

O crescimento de Gravataí decorreu de altas nas atividades de fabricação de veículos automotores, peças e acessórios automotivos, além de transportes e comércio de veículos automotores e motocicletas. Esse contexto tornou o município possuidor da terceira maior economia do Estado.

Cachoeirinha destacou-se devido à elevação da arrecadação de impostos sobre produtos industrializados (IPI), a qual está relacionada à fabricação de cigarros e produtos do fumo. Também houve um aumento na participação do setor de serviços. Com isso, assumiu a 12.a colocação entre as maiores economias gaúchas.

O desempenho bastante positivo de Passo Fundo derivou em alto grau das atividades industriais relacionadas a alimentos e bebidas e ao comércio atacadista de combustíveis. Ademais, o município apresentou um incremento no setor de serviços como um todo, colaborando para que figurasse como a sétima maior economia do Estado.
Caxias do Sul aumentou sua participação no PIB gaúcho principalmente devido à boa performance nas indústrias química e de veículos automotores, reboques e carrocerias e à elevação na participação do seu comércio atacadista. Dessa forma, o município manteve-se como a segunda maior economia do Estado, abaixo apenas de Porto Alegre.
Apesar de Erechim ter-se mantido como a 16.a maior economia do RS, foi o sexto município que mais incrementou sua participação no PIB. Esse ganho decorreu, sobretudo, da indústria de alimentos e bebidas, que é bastante representativa no município.

Assim como Erechim, Bento Gonçalves e Santa Maria também mantiveram suas posições no ranking dos maiores PIBs do RS (13.a e 11.a respectivamente). Bento Gonçalves apresentou alta nas indústrias de fabricação de móveis e metalurgia, e Santa Maria na distribuição de energia elétrica e gás natural e no comércio atacadista e varejista.
Já Cruz Alta e Lajeado subiram sete posições no ranking. O ganho de participação de Cruz Alta ocorreu, em grande medida, devido ao bom desempenho de todo o comércio, principalmente o atacadista, tornando o município o detentor do 24.° maior PIB do RS. Lajeado (17.° maior PIB em 2014) obteve crescimento considerável na indústria de alimentos e bebidas e comércio de veículos automotores e motocicletas.

De modo geral, os ganhos de participação desses 10 municípios foram fruto de desempenhos superiores à média estadual nas atividades de indústria de transformação e comércio, as quais são responsáveis por parcela considerável do Valor Adicionado Bruto do RS e são fundamentais na geração de empregos e renda. Esse grupo de municípios tornou-se responsável por 20,6% do PIB gaúcho em 2014, exibindo, desde 2002, acréscimo de 3,63 p.p. na parcela que possuía do PIB do Estado.

Como citar:

FANTINEL, Vinícius Dias. Maiores ganhos de participação no PIB dos municípios do RS de 2002 a 2014 Carta de Conjuntura FEE. Porto Alegre, disponível em: <http://carta.fee.tche.br/article/maiores-ganhos-de-participacao-no-pib-dos-municipios-do-rs-de-2002-a-2014/>. Acesso em: 20 de agosto de 2017.

Compartilhe