Textos com assunto: habitos alimentares

Excesso de peso, hábitos alimentares e atividades físicas em Porto Alegre

Por:

Edição: Ano 24 nº 10 – 2015

Área temática:

Assunto(s): ,

O Ministério da Saúde publica regularmente uma pesquisa feita com pessoas de 18 anos ou mais nas capitais brasileiras e no Distrito Federal com o objetivo de investigar o excesso de peso, a obesidade, a atividade física e os hábitos alimentares da população (Vigitel). Os dados mais recentes revelam que, em 2014, mais de 55% dos porto-alegrenses estavam acima do peso e 21% eram considerados obesos. A situação é mais preocupante entre os homens, pois 62% apresentavam excesso de peso, o terceiro maior índice entre as capitais. Com relação à obesidade, eles apresentaram a maior proporção, sendo quase um quarto enquadrado nessa categoria.

A análise de alguns fatores que aumentam o risco de doenças, como o tabagismo, os hábitos alimentares e a prática de atividades físicas revela aspectos preocupantes a respeito dos porto-alegrenses. A maior proporção de fumantes entre as capitais encontra-se em Porto Alegre: 18% dos homens e 15% das mulheres, sendo que, em média, 6% consomem pelo menos 20 cigarros por dia. A investigação quanto aos hábitos alimentares saudáveis indica que os porto-alegrenses não estão entre os piores classificados quanto ao consumo de frutas, legumes e verduras, sendo que mais de 45% apontaram que comem esses alimentos cinco ou mais dias da semana, porém apenas 30% deles consomem o mínimo recomendado pela Organização Mundial da Saúde — em torno de cinco porções diárias. A ingestão de leite com teor integral de gordura é a mais baixa no ranking das capitais, porém ainda é considerada elevada: 42%. Também é alto o percentual dos que consomem carne com excesso de gordura: 30%. Outro indicador de hábitos não saudáveis, o consumo de doces, ocupa lugar de destaque na Capital: para as mulheres, é o maior percentual, já que 27% delas disseram que os consomem em cinco ou mais dias da semana; já entre os homens, o percentual é de 19%, o terceiro maior entre as capitais e DF. Também a ingestão de refrigerante é a maior entre as mulheres das capitais: 26% das porto-alegrenses o consomem em cinco dias ou mais da semana em comparação com 32% dos homens, o segundo maior valor. A substituição do almoço ou jantar por lanche é uma prática frequente e representa a maior proporção na comparação com as demais capitais: 20% dos homens e 28% das mulheres fazem isso sete ou mais vezes na semana. A ingestão abusiva de bebidas alcoólicas também merece destaque: um quarto dos homens e 10% das mulheres responderam que consumiram pelo menos quatro doses de bebida em uma única oportunidade no último mês anterior à pesquisa.

A análise dos níveis de atividades físicas indica que 47% dos homens e apenas 27% das mulheres porto-alegrenses as praticam em seu tempo livre, e apenas 10% deslocam-se regularmente para o trabalho ou escola caminhando ou pedalando. Em torno de 15% dos porto-alegrenses são considerados inativos e, para completar esse quadro, 25% despendem mais de três horas diárias assistindo televisão.

Assim, tendo em vista esses fatores de risco apontados, não é surpreendente o fato de que o porto-alegrense apresente o maior percentual de hipertensão dentre as capitais (29,2%), seja o terceiro colocado em diagnóstico de diabetes (8,6%) e ocupe a oitava posição em colesterol alto (21,7%).

Compartilhe