Textos com assunto: carne

O bom desempenho das exportações gaúchas de carne

Por:

Edição: Ano 14 nº 08 - 2005

Área temática:

Assunto(s): ,

Apesar da sobrevalorização do real, a entrada de divisas como resultado das exportações agrícolas continua garantindo saldos comerciais consideráveis para o País.

O segmento gaúcho exportador de carnes é um exemplo desse fato, ao apresentar um incremento nas vendas externas da ordem de 42,5% nestes primeiros seis meses de 2005, quando comparados a igual período do ano anterior. Perfazendo a soma de US$ 649,2 milhões, ou seja, 17,9% do valor total das exportações brasileiras de carne até o presente momento, o Estado tem figurado na terceira posição do ranking dos maiores exportadores nacionais, situando-se atrás somente de São Paulo, que totaliza 27,4% do valor comercializado, e de Santa Catarina, que responde por 21,0%. Caracterizadas pelos aumentos expressivos verificados, nesse mesmo período, para o comércio externo de suínos, que praticamente dobrou, e tamb ém de bovinos (53,6%) e de frangos (32,1%), as exportações gaúchas registraram variações superiores às nacionais para todos os tipos de carne e tiveram como principais destinos os países do Oriente Médio, Rússia e Japão.

O bom desempenho das exportações gaúchas de carne

Compartilhe

Exportações de carnes do RS têm crescimento expressivo

Por:

Edição: Ano 13 nº 10 - 2004

Área temática:

Assunto(s): ,

Nos primeiros oito meses de 2004, as exportações agropecuárias brasileiras alcançaram US$ 26,025 bilhões, um aumento de 35% sobre o mesmo período do ano anterior. O capítulo das carnes ficou em segundo lugar entre os produtos de maior valor, alcançando US$ 3,561 bilhões, mediante crescimento de 64,6%. Entre os estados exportadores de carne, o Rio Grande do Sul ocupa o quarto lugar, com 16,9% das vendas. No período aqui analisado, o Estado obteve exportações da ordem de US$ 603 milhões, com incremento de 48%, muito expressivo, porém abaixo da média nacional.

Analisando por tipo de carne, pode-se notar que a de frango continua a deter a maior fatia das vendas externas do Estado. Entretanto a taxa de crescimento das exportações do Rio Grande do Sul (44%) ficou abaixo da de Santa Catarina (46%) e da do Paraná (55%), os outros dois grandes produtores e exportadores de carne de frango do País. Nas vendas de carne suína, o crescimento gaúcho foi de 30,8%, novamente abaixo da média nacional, impulsionada pela expressiva taxa de Santa Catarina (100%), Estado detentor de 44% das vendas do produto. Nas exportações de carne bovina, o extraordinário crescimento de 150,9% nas exportações a partir do Rio Grande do Sul não foi capaz de transformar o Estado em exportador importante, visto que possui apenas 3,1% de participação nas vendas externas da carne, onde São Paulo detém parcela de quase 70%. Quanto às outras carnes, com pouca expressão no total, o Estado conseguiu avançar 94%, dessa vez acima da taxa dos outros estados.

Exportações de carnes do RS têm crescimento expressivo

Compartilhe

As perdas nas exportações de carne em 2001

Por:

Edição: Ano 10 nº 10 – 2001

Área temática:

Assunto(s):

As previsões de perdas nas exportações brasileiras de carne em 2001 em decorrência dos focos de febre aftosa surgidos no Rio Grande do Sul em maio deste ano aparentemente não se configuraram. As vendas de carne bovina in natura apresentaram, no período jan.-jul./01, um aumento de 51% em volume, em comparação com igual período de 2000. As exportações brasileiras de carne suína também tiveram um desempenho bastante positivo, pois cresceram 136% no período considerado em relação ao mesmo de 2000.

Para o Rio Grande do Sul, no entanto, as perdas na exportação de carne bovina in natura foram significativas. O Estado, que já apresentava perdas de mercado frente a outros estados da Federação desde fevereiro de 2001, teve, com a ocorrência da aftosa, suas vendas externas ainda mais comprometidas. No mês de junho de 2001, os volumes exportados de carne in natura tiveram uma queda de 74% relativamente a junho de 2000, retração esta que foi ainda maior em julho: 94%. Esse desempenho resultou numa diminuição de 34% nas vendas ocorridas de janeiro a julho de 2001, comparando-se com o mesmo período do ano anterior. O reflexo do reaparecimento da febre aftosa foi mais lento sobre as exportações gaúchas de carne suína: foi somente em julho que essas vendas apresentaram uma redução em relação a 2000. No entanto, dado o crescimento dessas exportações nos primeiros meses de 2001, o período de jan.-jul. apresentou um crescimento de 49% em relação ao mesmo período de 2001.

As perdas nas exportações de carne em 2001

Compartilhe