Ano 26 nº 1 – 2017

A produção industrial no RS, em 2016, e suas perspectivas de crescimento

A indústria de transformação (IT), no Rio Grande do Sul, apresentou, no período de janeiro a novembro de 2016, uma queda acumulada de 4,3% na produção física em relação ao mesmo período do ano anterior, de acordo com a Pesquisa Industrial Mensal de Produção Física do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No acumulado

Leia mais

Safra recorde, exportações em queda: o desempenho do complexo soja gaúcho em 2016

Na segunda semana de janeiro, a Fundação de Economia e Estatística divulgou informações detalhadas sobre as exportações de mercadorias do agronegócio gaúcho em 2016. As vendas externas do agronegócio somaram US$ 11,0 bilhões, o que equivale a 66% das exportações totais do Rio Grande do Sul no ano passado. Em termos setoriais, o principal destaque

Leia mais

A persistência dos efeitos da queda da indústria de transformação no RS

Na nova série de Contas Regionais do IBGE e da FEE, o crescimento acumulado do PIB do Rio Grande do Sul entre 2003 e 2014 foi maior apenas que o do Estado do Rio de Janeiro, ocupando a 26.ª posição entre os estados brasileiros. Em uma primeira observação, esse resultado pode indicar que o nosso

Leia mais

Competitividade em aglomerações produtivas e Arranjos Produtivos Locais no RS

Em novembro último, uma equipe de pesquisadores da FEE publicou o e-book Aglomerações e Arranjos Produtivos Locais no Rio Grande do Sul, que faz uma síntese de estudos realizados em 11 aglomerações produtivas (APs) e Arranjos Produtivos Locais (APLs) do RS. A pesquisa originou-se de uma solicitação do Governo do Estado por informações e análises

Leia mais

A evolução da economia brasileira recente revelada pela comparação de suas duas últimas Matrizes de Insumo-Produto

Em outubro de 2016, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou a nova Matriz de Insumo-Produto (MIP) nacional. A MIP é um painel sistemático e integrado da economia. As colunas representam os setores demandantes, e as linhas, os setores ofertantes. Os setores-linha são ordenados do Setor Primário ao Terciário. O valor total do

Leia mais