Ano 21 nº 03 - 2012

    Agências de classificação de risco: críveis?

    Face à expansão dos mercados financeiros das últimas décadas, as agências de classificação de risco adquiriram expressiva relevância. Seu papel é avaliar o risco de inadimplemento de países e de empresas, no intuito de reduzir as assimetrias de informação inerentes ao negócio creditício. A dinâmica financeira internacional é fortemente guiada pelos ratings dessas agências. Tal

    Leia mais

    O crédito em 2011

    O comportamento altista dos índices de preços em 2010, aliado à perspectiva de que, tanto pelo lado da demanda quanto pelo lado da oferta, não havia sinais claros de uma desaceleração no curto prazo, fez com que o Banco Central (Bacen) desse início, em dezembro desse ano, à adoção de uma série de medidas, com

    Leia mais

    Evolução da massa de rendimentos reais na RMPA: 2000-11

    A economia gaúcha teve, nos anos 2000, um desempenho mais robusto do que o registrado nos anos 90. Entre 2000 e 2011, a taxa média de crescimento do Rio Grande do Sul foi de 3,1%, sendo que, na primeira metade do período, a média alcançou 1,7%, ao passo que, na segunda, 4,5%. Essa performance favoreceu

    Leia mais

    Desindustrialização ou desenvolvimento: o que o Brasil quer?

    As reformas estruturais na economia brasileira, no início dos anos 90, consistiram, fundamentalmente, na política de abertura financeira e comercial da economia brasileira. Essa visava ao aumento de competição real e potencial na indústria, através de diminuição do nível e dispersão das tarifas de proteção, mudanças na legislação de patentes, direitos de propriedade, etc. O

    Leia mais