Ano 18 nº 06 - 2009

Impactos intra-urbanos de grandes empreendimentos

Os problemas dos grandes empreendimentos (GEs) emergiram com o avanço da urbanização e das aglomerações metropolitanas. Do ponto de vista da territorialidade, essas atividades apontam a formação de padrões adensados de ocupação de população, produção e consumo. Em Porto Alegre, a indústria praticamente se evadiu para o resto da formação metropolitana, deixando de exercer pressão

Leia mais

O emprego formal acusa o golpe e busca a recomposição

Até setembro de 2008, verificou-se, no Brasil, uma acelerada criação de empregos com carteira assinada, porém, a partir de outubro, quando os efeitos da crise financeira internacional começaram a ser sentidos, houve uma reversão desse quadro, com a destruição líquida de postos de trabalho nos meses de nov./08 a jan./09, tendo dezembro como pico (-654.946

Leia mais

O câmbio em 2009

Desde abril, a taxa de câmbio vem caindo, fruto da melhora no afluxo de dólares; no câmbio comercial, devido à venda antecipada de dólares pelos exportadores, temerosos de maior valorização do real; no financeiro, pela volta das aplicações de curto prazo, inclusive as de carry trade (aplicadores tomam empréstimos em países com baixas taxas de

Leia mais

Perspectivas do perfil da população do Rio Grande do Sul

Dos atuais 10,8 milhões de habitantes do Rio Grande do Sul, 31% possuem menos de 20 anos, e 13% estão com 60 anos ou mais. Desde a década de 70, a população com idade entre 20 e 59 anos é maior do que a soma dos jovens com os idosos. Conforme mostra o gráfico, a

Leia mais

RS: mortalidade de menores de cinco anos não se reduz o suficiente

O pacto da Organização das Nações Unidas para a redução da pobreza estabeleceu os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) como compromisso com a sustentabilidade do planeta compartilhado entre os governos de 191 países, até 2015, através de ações dos governos e da sociedade. O quarto objetivo diz respeito à mortalidade infantil, cuja meta é

Leia mais

O Brasil mais forte no front externo

É impossível preverem-se os desdobramentos e a duração da crise mundial. Da mesma forma, resulta inexeqüível antecipar as efetivas conseqüências da crise na economia nacional. É óbvio que o Brasil se depara com condições mundiais adversas ao seu crescimento, ao contrário do período de forte prosperidade global interrompido pela crise. Contudo, no período de prosperidade,

Leia mais